Brincadeira para aproximação do alimento

 

Pessoal, recebi dos inspirados e achei útil postar aqui. A intervenção feita com a ferramenta do Brincar é sempre divertida e conquista as crianças com alegria.
Um pulo para a aprendizagem.

download (3)

Nessa brincadeira percebam as etapas delicadas que gradativamente aumentam as solicitações.

Ás vezes me perguntam….”precisa de tudo isso pra apresentar o brócolis para a criança?” Não, não precisa, se ela aceitar experimentar mas ás vezes as crianças com autismo apresentam aversão á certos alimentos e com a brincadeira motivadora, o foco deixa de ser o “alimento” e sim a vontade de Brincar.

Atividade: O Cavalinho que Come Brócolis

Crie uma brincadeira interativa em que o papel da pessoa seja apenas observar você comendo o alimento. Enquanto você come, demonstre gostar do sabor da comida, do cheiro, da textura do alimento. Exagere suas reações. 

Um exemplo de atividade interativa pode ser o “Passeio de Cavalinho”. Você oferece à criança um passeio de cavalinho a carregando em suas costas. O “cavalinho” fica cansado e com fome, precisando então comer deliciosos brócolis para ganhar forças e voltar a cavalgar. Você faz uma pausa, come os brócolis animadamente e volta a oferecer a ação motivadora de carregá-la pelo quarto.

Após vários ciclos de brincadeira em que você pausa e come os brócolis para voltar a cavalgar, se a criança continuar altamente motivada na interação, solicite que ela lhe ajude a comer, por exemplo, o ajudando a levantar o seu braço para que você leve os brócolis até a sua própria boca (boca do “cavalo”). Neste caso, ela não precisaria nem chegar perto dos brócolis ainda.

Quando a criança estiver respondendo à solicitação de forma consistente, aumente o desafio e peça que ela pegue os brócolis do prato e os coloque na boca do “cavalo” para ele ganhar forças e voltar a cavalgar. Neste caso, ela apenas toca nos brócolis, mas eles vão direto para a boca do adulto.

Exemplos de solicitações futuras para aumentar o desafio da solicitação na atividade: a pessoa aproximar os brócolis de seu nariz e do nariz dela para que vocês possam sentir o cheiro do brócolis antes de você comer, a pessoa encostar os brócolis em seu próprio lábio (dar um beijinho no alimento) antes de oferecê-los para você comer, lamber os brócolis, dar uma pequena mordida, e assim por diante, até que ela esteja comendo o brócolis de forma divertida para você ganhar forças para cavalgar novamente.

Importante: 

O mesmo princípio pode ser aplicado em diversas brincadeiras, por exemplo, a rodela da cenoura pode alimentar o fantoche de coelho faminto antes de ele fazer cócegas na pessoa com autismo. Podemos também investir em brincadeiras simbólicas com comidinhas de plástico, como piqueniques dos fantoches, restaurante dos bonecos, feirinha do Barney, etc. Cada comidinha pode levar você a oferecer uma ação motivadora diferente para a pessoa.