Atenção à sobrecarga sensorial

Muitas vezes o comportamento da criança com autismo está relacionada a diversos estímulos sensoriais no ambiente, apesar dos movimentos das pessoas, do som, da luz, das cores, conseguimos filtrar as informações e manter o foco no que é importante quando conversamos com os amigos. Para as crianças com autismo isso pode ser muito difícil e então ela se protege de diversas maneiras como se isolando, gritando, chorando, ou mesmo parecendo agressiva.

Saiba que ela faz o melhor que pode para nos fazer entender.
Eu fico atenta, treine sua observação.

Sensory Overload (Interacting with Autism Project) from Miguel Jiron on Vimeo.

Uma meta que virou várias outras!

A sessão com uma criança com autismo a semana passada me fez escrever esse texto.

Criança verbal no estágio 4 de habilidades sociais, ótimo cognitivo e interesses por animais, bichos de plástico (que inicialmente o deixa isolado) entre outros interesses como livros, dramatizações exageradas onde animais de sua escolha como dinossauros, búfalos, rs, tigre dente de sabre correm e se escondem em florestas encantadas. A sala se transforma com sons, fantasias e espadas mágicas…é claro que desmaio depois, hehehe

Bom G. entrou tranquilo com flores porque era meu aniversário, um abraço delicioso, ganhei.

Pediu a caixa de animais, pediu mais e pediu todos

CAM00516

Peguei todos os animais e sentei um pouco afastada dele com alguns animais para mim também. ao primeiro olhar, celebrei e ofereci o lego grande sugerindo uma construção de uma fazenda. Não se interessou, continuou a montar sozinho….Era uma carroça!! Não havia interação, olhava o que eu fazia com pouco interesse. Não queria interagir naquele momento.

Construí a minha casa com a caixa do lego, UAU!!!! Um sorriso lindo e G. se aproximou, rsrsr Celebrei muito esse momento, ” que legal você pertinho de mim”

CAM00517CAM00518Algumas tentativas de construção e G. voltou à sua atividade mais exclusiva. Sempre alguns olhares demonstrando interesse no que eu fazia. Eu acompanhei seus movimentos silenciosamente, G. não estava pronto ainda para brincar comigo e também não queria que eu tocasse em sua carroça, que agora tinha animais que puxavam. Observei!

Arrisquei construir e quando senti que havia um espaço e falei” que boa ideia essa, de colocar animais puxando a carroça!!!” A gente pode colocar as rédeas, o que acha? Sim, ele falou

Agradeci por ter respondido e levantei rapidamente e peguei a fita crepe e a tesoura.CAM00520CAM00519

Nesse momento uma interação tranquila de dois amigos que colaboram, se ajudam, conversam e sorriem…estava acontecendo. Ora ele puxava a fita e eu cortava e em seguida eu ofereci a tesoura para ele cortar enquanto eu segurava a fita.

O uso da tesoura ainda é muito difícil para G.mas assim mesmo ele tentou, permitiu que eu a posicionasse corretamente e grudamos nos animais para que eles puxassem a carroça.

G. não gosta nadinha quando a fita cola em seu dedo, faz cara de nojo e aflição…mas tolerou bravamente esse momento. A motivação leva a ação.

CAM00523Continuou sua brincadeira. Ao perceber que G. já havia escolhido com quais animais queria brincar, eu avisei que iria dar uma arruda nos bichos, cada um na sua jaula….ele concordou. E continuou brincando.

CAM00524

Pediu novamente os animais e espalhou no tatame. Juntei-me na construção de lego e fiz uma tenda com telhado bem alto e coloquei uma girafa lá dentro, ele olhou o que eu fazia e disse: essa é pequena…YEEH! é verdade, vou fazer uma grande, boa ideia. Peguei papelão, desenhei uma girafa sob os olhos interessados e recortei rapidamente para que G. não esperasse muito, fiz um apoio e colei fita crepe pra ela ficar em pé. PRONTO! AÍ ESTÁ A GIRAFA GRANDE.

CAM00526Eu tinha feito uma simples casa com 4 pernas e ele fez a dele…..Olha só o requinte, hehehheheCAM00527

Cantamos a música da girafa que tinha um monte de pintinhas, sugeri que ele subisse  no pescoço da girafa enquanto eu cantava, Eu era a girafa, Xiiii!!!!a girafa não faz som, eu disse….acho melhor você cantar, rs Cantou apenas um pedacinho, ainda é muito difícil pra ele.

Sugeri colocar pintinhas na girafa e ele topou, agradeci por ter gostado da minha ideia. Peguei massinha para fazer as pintinhas, todos os bichos ficaram pintados com muitas pintas, menos a girafa.

G. fazia bolinha na mesa e eu usando as duas mãos, tentou fazer também com as mãos e persistiu até que conseguiu. Várias vezes pediu pra eu fazer e eu lhe entregava uma  e o incentivava a fazer novamente. UM FOFO!

CAM00529CAM00530

Depois começou a explorar as peças do lego com a massa. Enche o buraco, tenta tirar a massa do buraco,  se irrita…..Falei: Posso te ajudar, veja se dá pra tirar com isso aqui. (mostrei uma caneta), cutucou e tirou

CAM00528

CAM00539

CAM00541

Observe a preensão palmar ainda nesse momento, usualmente pega em lápis usando esse tipo de preensão. Embora a atividade de massinha eu não goste muito de utilizar, porque deixa a criança muito isolada. É necessário para o desenvolvimento das habilidades de coordenação, força da musculatura intrínseca da mão e preensão.

Carimbou a massa e fez vários brigadeiros para meu aniversário. E a girafa amarela comeu.

CAM00543Uma sessão deliciosa com duração de 1 hora, cuja meta era um jogo de perguntas e respostas…COMO ME SINTO.

Num próximo post eu descrevo a brincadeira. Algumas crianças reconhecem e nomeiam as expressões mas não as identificam nelas. Criei um joguinho e ficou legal. Testei com outra criança e tenho que enriquece-la.

As vezes tenho a impressão de que as brincadeiras NUNCA ficam prontas. Depois de usar, sempre tenho que acrescentar algo.

beijo.